No ano passado, os Fundos de Investimento em Direito Creditório (FIDCs) se destacaram em algumas áreas da economia, como em renda fixa e no setor de captação líquida. Isso torna 2022 um ano cheio de expectativas para os fundos brasileiros.

Analisando os últimos anos, Macário Perez, do Fundo Raízes, em entrevista  à Grafeno que o mercado tem cada vez mais potencial de investimento. “A desregulamentação no Banco Central trouxe inovações tecnológicas e novas operações abriram o mercado e o auxiliou a explodir como está explodindo”, disse Macário no quadro Grafeno Entrevista.

O que movimentou os fundos em 2021
No último ano, os fundos de renda fixa tiveram um papel importante na evolução do mercado, captando R$215 bilhões. A renda fixa simples atingiu R$153 bilhões e a renda fixa de baixo grau de investimento chegou aos R$66 bilhões. 

A captação líquida positiva também fez parte da boa fase dos fundos, batendo recorde de R$ 369 bilhões. Os dados foram divulgados no Boletim de Fundos de Investimentos da Anbima, associação do mercado de capitais. 

De uma maneira geral, o mercado de capitais nacional atingiu a marca de R$596 bilhões em captações. O setor conquistou mais que o dobro de 2020, chegando a mais de R$80 bilhões arrecadados em um único ano. 

 

Renda fixa x variável: a renda fixa pode ser descrita como um empréstimo de uma quantia em que a taxa de rentabilidade é definida no momento do investimento. Por outro lado, a renda variável não tem essa possibilidade de segurança no rendimento,  podendo ser para mais ou para menos, e com maior  risco. 


Boas expectativas para 2022
A Grafeno já marcou 2022 como o ano da evolução do mercado de crédito e capitais no país, portanto, é mais do que esperado que o crescimento continue nos próximos doze meses. A renda fixa, por exemplo, é uma modalidade que será alvo de muitos investidores. 

Essa ideia vem do fato de que escolher a renda fixa, em um ano de economia e política incertas no país, traz o sentimento de estabilidade tão procurado por alguns empresários.

Pode-se dizer que dois setores têm potencial para apostar em inovação dos fundos: o de antecipação de recebíveis de fretes e os Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais (Fiagros).

FIDCs passam a ter mais oportunidades no segmento de fretes
A Medida Provisória (MP) nº 1.051/2021 prevê o adiantamento de recebíveis da área de fretes, na intenção de beneficiar os caminhoneiros do país. A  expectativa é de que a medida comece a valer em 2022.

Atualmente, o Brasil possui mais de 750 mil caminhoneiros autônomos que, de acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), representam quase 38% da frota de veículos de carga.

Esses motoristas movimentam aproximadamente R$120 bilhões por ano em fretes, de acordo com os dados da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA).

Fiagros abrem caminhos para pequenos investidores
É um mercado mais amplo desenvolvido em 2021 para o setor de agronegócio, que cresce ano após ano, e foi dividido em 3 modalidades:

O Ministério da Economia aposta que os fundos vão auxiliar no aumento da capacidade de produção do setor e apoiar a transparência e dinamismo na área. Além de dar a oportunidade de pequenos investidores fazerem parte do mercado de crédito.

Os profissionais e investidores que fazem parte do setor de FIDCs entendem que o agronegócio é um mercado mais difícil de se trabalhar, que exige experiência e expertise da própria cadeia produtiva, mas é um ramo com enorme potencial de investimento.

Tudo depende da fase atual do país
Em um futuro com múltiplas possibilidades e a atual instabilidade econômica, os FIDCs estão na mira dos investidores pela proteção que os fundos proporcionam com suas estruturas de crédito. 

Se por um lado a  renda fixa é um investimento mais precavido, os lastros oferecidos pelas antecipações de recebíveis mostram uma possibilidade menor de inadimplência e uma facilidade maior no retorno do valor colocado em jogo.

Portanto, neste ano, apostar em uma modalidade que projete maior consistência no retorno financeiro vai estar cada vez mais no radar de quem quer investir. E nesse quesito os FIDCs estão na frente.

Gerencie contas dos mais diversos clientes de forma simples

A Grafeno é uma solução digital flexível que oferece estrutura bancária e regulatória, simplificando o fluxo entre credores e empresas. Crie tudo o que precisa e a Grafeno garante as operações de crédito com segurança e agilidade.

A Conta Escrow permite se adaptar às necessidades das suas operações de crédito, garantindo maior controle e segurança. Nela, você tem emissão de cobranças na titularidade do cliente, sem ruído com o pagador.

 

Comentários