Cada vez mais, as fintechs apostam em suprir as necessidades de públicos específicos do mercado financeiro. Com o desenvolvimento tecnológico e foco na experiência do usuário, essas novas empresas prometem avançar muito mais este ano. Por isso, a Grafeno decidiu indicar 3 livros sobre essas empresas que estão criando raízes no setor de finanças do país. 

De acordo com a Forbes, em 2021 as fintechs receberam mais de US$ 130 bilhões em investimentos. Esse montante tomou conta de 20% de todo o capital de risco do ano passado, demonstrando um ótimo desenvolvimento anual.

O Fenômeno Fintech: Tudo sobre o movimento que está transformando o mercado financeiro no Brasil e no mundo, de Bruno Diniz

 

Sinopse: SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS FINTECHS! Sem dúvidas, nunca houve antes no mercado financeiro um momento em que as transformações aconteceram de forma tão rápida quanto após o surgimento das fintechs. Até então, os interessados nesse tema tinham como referência apenas livros de autores americanos e europeus que não abordavam a realidade brasileira. Pois bem, isso agora vai mudar. O Fenômeno Fintech explica, de forma eficiente, a evolução desse mercado no Brasil e no mundo, como ele vem se organizando e quais são as principais tendências para o futuro. (…)

O livro retrata todos os passos das fintechs, além de como elas surgiram e as mais diversas áreas em que elas estão se instalando, desde a união de credores e empresas, como a Grafeno, até de máquinas de cartão mais acessíveis e gestões financeiras.

Algumas expressões utilizadas no mercado financeiro são explicadas de maneira simples e rápida, para garantir a fácil absorção do conteúdo mais teórico e de difícil entendimento.

Fintechs de Crédito; Regulamentação Jurídica Comentada, de Daniel H.C. Alvarenga

 

Sinopse: O mercado financeiro, assim como todas as indústrias, está passando por um momento transformador. Não apenas por adotar novas e promissoras tecnologias, mas também por mudar a forma como a experiência do usuário está sendo pensada, e também como fomentar o maior acesso ao sistema financeiro de maneira mais ampla. Ao contrário do que todos pensam, ter acesso a serviços financeiros não é supérfluo, é um direito essencial de qualquer cidadão. Pensar na democratização de acesso, na usabilidade, na facilidade, é inovar. Acredito que esse livro nos ajudará a conhecer as inovações regulatórias que estão permitindo essa revolução, e além disso, entender de uma vez por todas como pensar de maneira diferente sobre os produtos financeiros, para estar atualizado e para ser agente de mudança nesse momento tão disruptivo da nossa evolução. (…)

Este, por outro lado, tem a intenção de auxiliar quem precisa entender sobre o que há de novo nas questões regulatórias das fintechs. É um importante assunto, pois no início das fintechs pouco se sabia sobre as leis e regras que regiam a nova área. 

Se trata de um guia para quem quer se aventurar nesse mundo de tecnologia e inovação financeira. Apesar do tema bastante específico, a intenção do livro, escrito por Daniel H.C. Alvarenga, é trazer o assunto com uma linguagem mais fluida e simples. 

Brasil Fintech, org. Jihane Halabi.

Sinopse: (…) O livro foi construído para sedimentar uma base de conhecimento compartilhado de um retrato macroeconômico e social, seguido pelos seus highlights regulatórios que hoje ainda definem e expandem o mandato do mercado financeiro, de pagamentos, varejo e muito mais. Como você pode imaginar, daria para escrever uma grande enciclopédia com a missão de cobrir todos os tópicos. Buscamos então, construir uma obra conectada, ainda que trazendo perspectivas por vezes antagônicas, para retratar o presente em áreas de atuação já avançadas como Banking as a Service, Cross Boarder, Bancos Digitais, e trazer temas de um futuro e suas provocações, que não tão distante, se veem presentes e com grande foco e desenvolvimento.

O livro traz artigos escritos por trinta mulheres profissionais da área e traz experiências de erros e acertos aprendidos nas fintechs brasileiras. O exemplar traz informações dos mais diversos assuntos, desde os primeiros passos do Banco Central sobre as fintechs até o crescimento econômico do país.

Assim como o Fintechs de Crédito, o Brasil Fintech fala sobre as inovações regulatórias com o surgimento dessas empresas de tecnologia e como o mercado se adaptou a elas. 

Comentários