o que é selic

O arroz e feijão, as parcelas de um futuro empréstimo e o adiantamento dos seus recebíveis: o que eles têm em comum? Todos são  bastante influenciados por uma taxa que muitos já ouviram falar, mas poucos conhecem a fundo a Selic. Ela é uma taxa básica de juros criada pelo Banco Central (BC) para ser uma parte importante da economia.

Selic significa Sistema Especial de Liquidação e de Custódia e é a menor taxa do sistema econômico vigente e muito utilizada por quem faz grandes transações.

A Selic é administrada e atualizada regularmente pelo BC e muitas outras taxas que incidem sobre ela são impactadas em um movimento de cascata.

Em resumo, outras taxas de juros são formadas a partir da Selic e, portanto, e suas variações  repercutem em todos os setores brasileiros. Desde os grandes negócios fechados diariamente, até o mercadinho do bairro.

Se essa taxa sobe, os juros ficam mais altos e, portanto, as parcelas do empréstimo também, até mesmo as renegociações de pagamento de crédito também sofrem alterações e isso pode afetar a vontade de compra do consumidor final.

Por outro lado, se ela diminui, toda a cadeia produtiva e o setor de comércio  podem ofertar produtos com valores menores.

Há dois lados dessa moeda: apesar de juros lá embaixo serem melhores para a maior parte da população, os Fundos de Investimento em Direito Creditório (FIDCs) encontram na alta uma forma de lucrar ainda mais em suas operações.

Oportunidades com a Selic em 2022

De acordo com o Relatório de Mercado Focus, a alta da Selic deve continuar até o fim deste ano e pode chegar a 12,25% no último mês de 2022, o que pode gerar boas oportunidades para os FIDCs.

Veja as projeções para os próximos anos:

A boa fase para os FIDCs

Até agora é possível entender que a alta da Selic impacta diretamente em diversas outras taxas que, por sua vez, alteram os valores de produtos destinados aos consumidores finais e que isso acaba desestimulando o movimento de compra e venda da população.

Porém, os FIDCs ganham espaço no momento em que a taxa começa a receber elevações nos valores, devido a alocação de ativos ou asset allocation

O que é alocação de ativos

Esse é um movimento que busca a diversificação de investimentos para conseguir melhor retorno e diminuir os riscos dos valores nas negociações. Isso pode ocorrer devido à inadimplência, por exemplo. Dessa forma, aumentar o portfólio de investimentos é essencial para alguns investidores.

Uma das principais vantagens dos FIDCs é  o baixo risco de investimento por não se tratar de um tipo de negociação inconstante e isso faz com que a possibilidade de retorno seja maior que em outros tipos de investimentos.

De uma maneira geral, a alta dos juros contempla os FIDCs como uma boa possibilidade de investimento, que, por outro lado, devem apenas analisar as taxas de inadimplência para uma boa rotatividade das antecipações.

Diferença entre Selic e CDI

O CDI (Certificado de Depósito Bancário)  é uma outra taxa   muito confundida com juros básicos.

Isso é comum, porque as duas possuem intenções parecidas e impactam nos valores que chegam aos consumidores, mas foram desenvolvidas para finalidades distintas. O CDI determina o rendimento de diversos tipos de investimentos entre bancos.

Imagine que dois bancos distintos disponibilizem R$ 100 em conta, em um deles, duas pessoas sacaram R$ 20, no segundo, outras duas pessoas depositaram o mesmo valor.  Para que os bancos consigam ajustar os saldos e fechar o dia no positivo,  uma instituição pode tomar empréstimos da outra  mediante taxa de juros. Este tributo é o CDI. 

A Selic influencia diretamente o valor do CDI e por terem valores parecidos acabam sendo bastante confundidas, mas cada uma possui sua respectiva tarefa.

 

Comentários