grafeno transferencia de boletoA nova funcionalidade em conta permite transferência de titularidade de cobranças já emitidas 

Dados do Banco Central mostram que o saldo das operações de crédito livre a pessoas jurídicas alcançou R$1,1 trilhão em fevereiro de 2021. 15% do montante está em produtos de antecipação de recebíveis. No sistema financeiro nacional, só perde para as linhas de capital de giro de longo prazo, que têm 33% deste total. Se somarmos o saldo de títulos securitizados, que está em R$311 bilhões, temos a antecipação tomando a dianteira do crédito para pessoas jurídicas no Brasil.

O uso de recebíveis para acessar capital de giro é muito disseminado e, frequentemente, o único acesso a crédito para PMEs. Os principais recebíveis negociados no sistema financeiro e no mercado de capitais são as duplicatas.

A Grafeno entrega para credores e empresas uma plataforma bancária e regulatória para agilizar operações. Agora, lançamos a funcionalidade de Gestão de Titularidade (GDT) diretamente em conta, que permite operações de transferência de titularidade de cobranças já emitidas entre empresas com agilidade e segurança.

 

Gestão de Titularidade é uma funcionalidade que pode ser habilitada na sua conta da Grafeno

A Grafeno desenvolveu a GDT para credores e empresas negociarem títulos a vencer com mais agilidade e sem ruído, sendo uma opção que pode ser habilitada dentro da sua conta digital da Grafeno.

A funcionalidade é útil para empresas que desejam antecipar parte de sua carteira de cobranças depois que a nota fiscal e os boletos já foram emitidos e enviados para os clientes. Com a GDT, os credores podem buscar negócios nas carteiras dos seus clientes, desde que autorizados pelo cedente.

Ela permite transferência expressa diretamente na conta empresa

Quando credor e empresa habilitam a GDT, o processo é 100% online, realizado dentro da plataforma bancária da Grafeno. Para disparar ou fechar uma operação, o usuário acessa “Gestão de Titularidade” no menu da plataforma de internet banking da Grafeno.

Aqui, é importante lembrar que a GDT controla a titularidade da cobrança (inicialmente apenas boletos e, em breve, Pix). As demais rotinas de gestão de ativos, especialmente a cessão das duplicatas, são realizadas pelos envolvidos normalmente.

 

O credor ou empresa pode dar início à operação de transferência de titularidade

Tanto o credor quanto seu cliente podem dar início a uma operação de transferência. O credor pode começar o processo solicitando a um cliente o acesso para visualizar sua carteira de cobranças. Quando o acesso de visualizador do cliente é autorizado, a empresa que dá crédito pode, proativamente, enviar uma proposta de transferência.

O cliente, por sua vez, pode começar o processo compartilhando com os credores que ela escolher uma seleção de títulos abertos que ela estaria aberta a negociar.


gestão de titularidade Grafeno


O sacado paga pelo produto, independente de quem detém o direito creditório no momento do pagamento

A partir do momento em que o cliente autoriza a transferência de um título para o credor, o sistema aponta que aquele título teve sua titularidade transferida. Quando o pagador quita o título, o sistema sabe que quem tem direito de recebimento é o credor e liquida a operação em sua conta automaticamente.

Quatro condições para transferir títulos sem troca de boleto

O que acontece quando a titularidade é efetuada?

Depois que ambas as partes concordam com o processo de Gestão de Titularidade, os registros passam a ser controlados exclusivamente pelo destinatário (credor) para a segurança de todos os envolvidos:

Que tal agendar uma demonstração? Também estamos disponíveis para te atender via telefone: (11) 3181-6112.

 

Comentários