Como funcionam as APIs no mercado financeiro
Como funcionam as APIs no mercado financeiro

O termo API vem de Application Programming Interface, programa que permite acessar com facilidade um sistema específico. Isso possibilita a comunicação entre plataformas através de uma série de códigos. 

Através dessa interface, as informações são requisitadas e compartilhadas para o melhor funcionamento do produto, sem a necessidade de saber como esses serviços foram implementados.

Através dessas aplicações, desenvolvedores podem criar serviços associados a outros produtos. Graças às APIs, o mercado financeiro vem se desenvolvendo cada vez mais.

A influência das APIs no mercado financeiro

Antes,  questões financeiras ficavam concentradas em grandes bancos com alguns serviços desenvolvidos por essas interfaces. Isso mudou com a fintechzação.

Empresas que antes eram focadas apenas em máquinas de cartão de crédito, agora podem ofertar seus próprios cartões, novos bancos  digitais entre outros, porque ficou cada vez mais fácil desenvolver novos produtos. 

As fintechs, nesse mesmo viés, enxergaram nessa evolução uma maneira de ofertar serviços com plataformas prontas e com a possibilidade de deixar da maneira que o cliente mais desejar, encurtando ainda mais a jornada do cliente.

Na Grafeno, por exemplo,  a conta vinculada  executa o adiantamento de recebíveis, e isso pode ser feito via API.

 

Quem não tem infraestrutura própria caça com a de uma fintech

“Um dos maiores desafios é criar uma estrutura do zero, e com tantas fintechs na praça chega a ser um desperdício de tempo, energia e recursos erguer, tijolo a tijolo, as fundações de uma nova solução, diz Paulo David”, founder da Grafeno, em seu  artigo sobre  consolidação das fintechs.

 

Como funciona o modelo White Label com as APIs?

White Label tem o nome autoexplicativo em sua tradução literal: é uma plataforma em branco que permite a inserção da sua própria marca. Na prática, é um produto totalmente personalizável,  desde as cores e logos até a oferta de produtos específicos. 

Ciente das maiores dificuldades enfrentadas pelos clientes no mercado, empresas contratam desenvolvedores e criam do zero plataformas com os mais diversos serviços, como Pix, TED, cartões de crédito e débito para quem desejar  vender esses serviços.

Aqui na Grafeno, um bom exemplo é a API de cadastros,  que possibilita a criação de contas dentro do site da empresa que contratou o serviço de White Label, e logo em seguida envia a solicitação de abertura de contas. Tudo isso via aplicação.

Fintech a seu dispor

Agora que você já sabe como funcionam as APIs,  Fintech as a Service(FaaS) é, resumidamente, uma tecnologia financeira ao seu dispor, que pode ser usada da maneira que melhor servir para sua empresa. 

Esse produto utiliza White Label e foi desenvolvido pela Grafeno com seus melhores especialistas em APIs  para quem deseja soluções financeiras.

O objetivo do FaaS é extinguir problemas, desburocratizar ações ou até mesmo inserir novas ferramentas no dia a dia de empresas, sejam outras fintechs ou marcas dos mais diversos setores. 

Antes seria necessário começar do zero em um outro mercado e passar por todos os passos do processo. Hoje, você pode simplesmente adquirir um serviço em poucos dias. 

 

Comentários